Livros

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

A girafa sem sono: (Texto Infantil de Liliana e Michele Lacocca)









Naquela noite, enquanto todos os animais da floresta já estavam dormindo há muito tempo, a girafa andava pra lá e pra cá e não conseguia pegar no sono.
— É falta de um bom travesseiro! — falou uma árvore que estava lá perto. — Mas eu tenho um sob medida para você. E só encostar sua cabeça no meio destes dois galhos e você dormirá sossegada até o dia amanhecer.
— É verdade! Como é que eu não tinha pensado nisso! — disse a girafa, e encostou a cabeça no meio dos dois galhos da árvore.
Mas logo em seguida pensou: “Eta travesseiro duro que eu arranjei! Nunca vou conseguir pegar no sono com um travesseiro tão duro como este".
— Que tal, então, você encostar a cabeça em alguma coisa mais fofa e macia, para dormir e ter os mais lindos sonhos da sua vida? — falou uma nuvem que estava de passagem.
— É verdade! Como é que eu não tinha pensado nisso! — disse a girafa e encostou a cabeça na nuvem.
Mas logo em seguida pensou: ”E se essa coisa fofa e macia derreter e virar chuva, onde vai parar minha cabeça? Nunca vou conseguir pegar no sono com um travesseiro tão mole como este”.
- Há Dona Nuvem, muito obrigada, mas eu não vou dormir em você não! E a nuvem foi embora.
- Pois é! Falou a lua que estava observando tudo.
- Oh! Dona girafa, comigo a senhora vai dormir tranquila e segura.
E ainda posso levá-la para passear até o sol raiar.
- É verdade! Como eu não tinha pensado nisso antes! E debruçou-se sobre a lua, mas de repente a girafa pensou.
- Aí! Com um travesseiro assim, tão torto, eu vou arrumar é um torcicolo, Aí! Dona lua, muito obrigada, mas eu prefiro dormir assim, sem travesseiro nenhum.
- Há! Esquece essa bobagem de travesseiro e conte estrelas.
- Todo mundo sabe que a forma mais garantida e segura de se pegar no sono. É verdade! Como eu não tinha pensado nisso antes! E começou a contar: um, dois, três... Onde, eu tinha parado mesmo?- -- Um, dois, três... E, a girafa foi contando estrelas e se atrapalhando e começou a contar tudo de novo. E nada de pegar no sono. Enquanto isso, o dia foi clareando. E as estrelas quase sumindo. E a girafa pensou, assim. Há eu preciso descansar, por que  amanhã quando as estrelas voltarem, eu vou ter que contar tudo de novo, e fechou os olhos e zzzzzzzzzzzzz!!!!!!

Trecho do livro A girafa sem sono,de Liliana e Michele Lacocca. São Paulo, Ática, Coleção Labirinto.
Confira o Canal Varal de Histórias sempre como uma historinha muito legal!
https://www.youtube.com/watch?v=R1HSNvuQiHE


sexta-feira, 16 de junho de 2017

A Hora de Conto

Há muito tempo na China havia um menino chamado Tao Thai. Esse menino tinha um dom especial tudo que ele plantava florescia com graça e beleza. Naquela época havia um grande Imperador que precisava achar um sucessor. Sem filhos, nem parentes próximos, ele decidiu chamar todas as crianças do reino. Thai foi uma delas. Ele era um ótimo menino. Dedicava-se ao jardim de sua casa, e cada planta tocada por ele crescia viçosa e forte.No dia marcado, dirigiu-se até o palácio, onde havia milhares de pequenos súditos. O imperador disse: - Crianças,preciso escolher o meu sucessor entre vocês. Vou lhes dar uma tarefa. Aqui estão algumas sementes; quero que vocês as cultivem. O trono será daquele que me trouxer, daqui a um ano, a planta mais bonita. Thai era um excelente jardineiro e, com certeza, faria muito bem o que o Imperador pedira. Porém, aconteceu algo inesperado, por mais que se esforçasse, a semente não brotava. O menino fez tudo o que podia, colocou a semente em um vaso maior, mas seus esforços não adiantaram. Até o dia de apresentar a planta ao Imperador, a semente de Thai não havia brotado e o menino estava tão preocupado que não queria enfrentar as outras crianças; porém seu avô disse: - Você é honesto. Vá até o Imperador e diga a verdade. Sua dedicação foi máxima, mas a semente não brotou. Não se envergonhe, querido, apenas explique o que você fez, pois devemos sempre agir com honestidade, buscando a felicidade, sem que a nossa alegria faça alguém infeliz. Thai obedeceu ao avô e foi ao palácio. Entretanto, ao chegar lá, ficou assustado, pois era a única criança que não levava consigo uma belíssima planta. O Imperador chamava as crianças e examinava os vasos. Não sorria e nem esboçava contentamento. Thai estava muito nervoso, pois, se o Imperador não havia até então aprovado aquelas plantas maravilhosas, o que não diria de seu pequeno vaso sem nada? Thai foi ficando para trás e, quando se deu conta, era o último da fila. Mas sua vez chegou, e ele não poderia mais adiar o encontro com o Imperador. - Vejamos, meu jovem, o que tem aí para mim. Thai não pôde mais evitar as lágrimas. Com a cabeça baixa, mostrou o vaso ao Imperador e disse: - Senhor, sou um jardineiro e uma de minhas virtudes é a perseverança, mas, por mais que eu tenha me esforçado, a semente não brotou. Meu avô ajudou a pensar sobre o que fazer e optei por dizer a verdade, contar meu esforço e pedir-lhe perdão. - Não se envergonhe criança, você fez o certo. A sua grande virtude foi dizer a verdade, pois eu havia queimado todas as sementes e nenhuma poderia germinar. Portanto, você foi o único que, de fato, plantou a semente da verdade.
"Algumas vezes, a verdade não é tão bonita quanto uma flor, mas precisamos encará-la com coragem para vencer os grandes desafios."
fonte:http://livro.educardpaschoal.org.br/upload/NossosLivros/a_semente_da_verdade.pdf

sexta-feira, 21 de outubro de 2011



O momento foi feito com o objetivo de promover a leitura em livros com crianças em fase inicial, com a mediação da professora, eles desenvolvem a atividade de leitura optando por livros de suas escolhas e depois interagem entre si compartilahndo entre os coleguinhas. Após o momento outros livros disponiveis no acervo poderão ser emprestados para lerem em casa com os pais. É um grande momento de socialização!!!
Uma seleção de livros para esta faze inicial de leitura são reservados especialmente para a criançada.